28 de agosto de 2014

geira

Quando os Romanos conquistaram o Noroeste da Península Ibérica, chamaram-lhe Gallaecia.
Já se sabe que eles eram grandes projectistas de estradas e pontes que permitiam maior mobilidade aos seus exércitos e a uniformização politica do império. 
Por isso, rapidamente delinearam novas vias de comunicação na região.

A Geira, ou Via Nova, era a via XVIII do itinerário Antonino, que ligava a capital da Gallaecia, Bracara Augusta (Braga), a Astúrica Augusta (Astorga em Espanha), ao longo de 320km.

E a Geira é especial.
É especial porque é o maior troço de estrada romana existente em Portugal; 
Porque grande parte está praticamente intacta, incluindo os marcos miliários que assinalam as milhas do percurso e que têm inscrições do sec. I; 
Porque podemos percorrê-la a pé sem grande dificuldade, mesmo em zona montanhosa, o que prova como os Romanos eram geniais na engenharia das estradas;
Porque é uma rota mítica que desde então foi usada por todos os povos que habitavam na região;
E claro, porque parte dela se insere no cenário maravilhoso do Parque Nacional da Peneda - Gerês.

Não sei quanto a vocês, mas eu fico sempre a palpitar quando dou de caras com “artefactos” que estão ali há 2000 anos... mais coisa menos coisa.

Entre as milhas XXXIII a XXVII, na Mata da Albergaria e ao longo da Albufeira de Vilarinho das Furnas é mais ou menos assim:










Tracking the Roman Empire... na Gallaecia, Portugal!

3 comentários:

Tânia Barreira disse...

e depois o Gerês é lindo! e têm uma magia especial!

A. Vagamundos disse...

Uau! Dá vontade de ir. Quantos quilómetros é o trilho (ida e volta)?

João Rosário disse...

É de facto uma estrada milenar, linda e espectacular!
Aqui à uns 5 ou 6 anos atrás percorri a Geira a pé entre a Portela do Homem e Vilarinho das Furnas com os meus miúdos dos Escuteiros e eles também ficaram maravilhados!