21 de outubro de 2006

A ACRÓPOLE

22-Ago-2006, terça-feira

Começámos a subir a rocha da Acrópole pelo lado Sul. O bilhete é 12€ e dá acesso a quase todos os monumentos arqueológicos espalhados pela cidade.

Está tudo apinhado de gente! Pessoas amontoadas acotovelam-se para obter o melhor ângulo de fotografia e ouvem-se resmunguices quando alguém passa à frente das câmaras. Foi assim nos degraus da Propilaya.
Entramos... está um Sol escaldante às 10h30.
O Parthenon continua imponente, apesar de ter sido parcialmente destruído na altura do bombardeamento dos canhões venezianos contra os Turcos, que ali estavam estabelecidos e o utilizavam como armazém de pólvora.
Gostei muito do Eractheion e das suas colunas em forma de mulher, as carátides.



Há muitas pedras no chão que dão a impressão de estarmos num lugar permanentemente desarrumado. Mas são pedras muito importantes e é estritamente proibido levar nem que seja um grão de areia do território da acrópole. Há vigilantes que estão lá só para controlar o tráfico e o contacto dos visitantes com os mármores da Grécia antiga.


A vista é ampla mas Atenas parece uma favela que cresceu desmesuradamente encosta acima e encosta abaixo.

Porém agradam-nos os telhados que avistamos do bairro de Plaka, a zona mais antiga, perto da Acrópole. Estamos inquietas para percorrer aquelas ruas.


Ouve-se falar português a cada esquina. Está um calor infernal. Temos saudades do mar. Bebemos um granizado de morango e fugimos.

2 comentários:

Anónimo disse...

adoro as tuas viagens e história culturar k emanas, mas gosto igualmente do cunho pessoal dos textos k depositas aki!
mete mais!

fm disse...

realmente as colunas em forma de mulher são lindissimas....mas como diz o aviso...é melhor não tocar no marmore...