26 de novembro de 2008

back to Angkor Wat

31-Outubro-2008

De volta ao Angkor Wat apreciamos tranquilamente a mudança de tonalidades que o Sol cede às suas torres.

O céu azul, as nuvens brancas e fofas. As flores de lótus cor de rosa, os monges que olham e sorriem nos seus trajes cor de laranja. O reflexo enfeitiçado. Tudo se conjuga para a formação de um momento eterno. Estou encantada... não quero partir.
É um verdadeiro reino mágico e perdido.






Queria ficar até o sol baixar.. e ver o nascer do sol no dia seguinte outra vez... e outra vez... até me fartar, até ter a certeza de que não iria ter saudades...

...“talvez nunca mais volte”, penso.

Pela primeira vez tenho a sensação de que é possível que nunca mais volte a um sítio que adorei... neste caso quem sabe, devido à sua localização especialmente inacessível. Há uma certa mistura de tristeza e alegria.

Mas o show tem que continuar... e de olho brilhante me despeço do Angkor Wat.

8 comentários:

FM disse...

belissimo texto, cheio de emoção.
dá para perceber o não querer sair desse local, as fotos transmitem mesmo que só um pouco, aquilo que deves ter visto e sentido, fotos não transmitem infelizmente tudo o que os sentidos captam
gostei.

valy disse...

cool pics

naninhahlittle disse...

nooossa,
amei o texto.
espero que a gente se fale bastante.
beiijo

Sal Ober disse...

excelente prosa.
adorei le-lo, voltarei brevemente.

saudações

http:\\coresemtonsdecinza.blogspot.com

Ana disse...

sim.nota-se a emoção nas tuas palavras e a nostalgia..bem sei o que é amar um local e não voltar...mas não por falta de vontade mas por outro tipo de incompatibilidades, financeiras e ke tais...mas o importante é sim aproveitarmos todos os segundos nesses espaços k estão diante de nós, e guardarmos na memória todos os cheiros, cores e pessoas que os partilharam e viveram connosco..O importante é sim o presente, akele momento em que estamos nós, os outros e o local, o nosso olhar e as emoções todas. Porque se um dia voltarmos tudo será diferente, as pessoas, nós próprios, mas as cores, os cheiros e a pedra, os trilhos e tudo o mais será idêntico...Mas tudo será diferente porque basta algo de minusculo ser diferente, e aí a experiência torna-se outra e revivemos mas também renascemos esse local dentro de nós.
Beijinhos
Boas fotos*

Nucha disse...

Adoro este teu conjunto de fotos...nem parecem reais....

Anónimo disse...

LINDO!!!! Também queria ver...

vento disse...

fotos excelentes, texto magnífico!
para quem se inclinou sempre + pelo Oeste, não sei ,não sei ...