9 de outubro de 2008

Ischia - Sorgeto

26-Agosto-2008

Estamos quase de regresso a casa por isso hoje não temos pressa.
Levantamos mais tarde, tomamos o pequeno almoço no hostel e saímos em direcção à baía do Sorgeto, uma zona de nascente de águas termais quentes que se misturam com as águas frias do mar.

BUS até Panza e depois descemos a pé uns 15min até à baía.
Fiquei fascinada. As águas eram as tais azul turquesa cristalina com rochas por baixo.




Há algumas pessoas mas não excessivamente. Escolhemos a nossa rocha e sentamos. Reparamos que também há pessoas sentadas em rochas dentro de água, e a água larga vapor. É mesmo água quente. Há um anúncio de “CUIDADO” pois em alguns pontos está mesmo a ferver... experimentamos com a ponta do dedo e *autch* escalda. Há gente a cozer ovos dentro de pocinhas... demais.
Penso em como isto deve ser bom no inverno...



Mais à frente a água do mar mistura-se e nós mergulhamos. Há uma ponte que serve para os taxi-boats atracarem e para as pessoas entrarem com cuidado dentro de água, há muitas rochas... mas assim que entramos e ficamos sem pé é magnífico. Vêem-se todos os peixinhos a passar por baixo dos nossos pés.



Decidimos almoçar antes da caminhada de 20min a subir de novo até à paragem do BUS... e debaixo do Sol a pique.
Há ali um restaurante mesmo à beira das rochas.. e é o único por isso todas as mesas ainda que vazias estão reservadas. Mas nós temos sorte.
É tudo muito descontraído, os empregados andam de fato de banho, as bruschettas são excelentes... É verão!



Depois do almoço subimos a rua de volta a Panza e damos a volta à ilha de BUS para ver as vistas. O interior é muito humilde mas muito simpático.






O final de tarde é na praia Citara. Pomos a toalha à sucapa numa “esquina” entre duas raças de espreguiçadeiras que custam 20€/dia. E estão cheias!
O pôr do Sol, esse é de borla para todos.





Como é da praxe, no último jantar bebemos vinho branco e ficamos horas à conversa.
Despedimo-nos das ilhas... Ouve-se uma boa selecção de música do mundo, na TV passa o “Gladiador”... mesmo a calhar... amanhã vamos para a cidade eterna.

4 comentários:

turbolenta disse...

ai o que eu adorei ver estas fotos. Tudo quanto é banca de legumes , frutas ( e até quinquilharias)prendem a minha atenção. É todo um colorido, um misto de cheiros que nos despertam os sabores.É um êxtase para os nossos sentidos.
Deve ter sido maravilhoso tomar banho naquelas águas assim tão quentes e transparentes. Adorei!
E quanto aos ovos a cozerem, lembrei-me do tempo em que a miudagem da escola (há imensos anos) estrelava ovos nos carris dos combóios na estação do Pocinho. O calor era tanto no Verão, que até dava para essas experiências culinárias dos jovens estudantes.
(dizia-se que por essas bandas era. 9 meses de Inferno e três de Inverno).
Boa semana
a.hiltom

ana disse...

Deve ser delicioso cozer os ovos nessas águas e de seguida partir-lhes a casca e comer uma sandes de ovo cozido "freskinha".
Adoro todos os pormenores fotografados, desde os tomates pendurados nas janelas (parecem tomates..não sei se são...)..aos santinhos ah janela k condizem com a cor da cortina da porta, às águas limpidas..k belo destino.bjs

fernando disse...

bom...esta ilha é de facto muito bonita, gostei de tudo o que deste a ver...auele prato´está com um aspecto delicioso...está está

Nucha disse...

Quem é aquela sereia esfarrapada? Sim...ou não fosse super complicado sair de lá!!!

A bruschetta estava óptima...com sabor a azeite e oregãos....
nahmmm