20 de novembro de 2008

Siem Reap

30-Outubro-2008

Em Siem Reap ficamos na agradável guest house Two Dragons. Oferecem-nos café mal chegamos, que eu radiante fico a saborear no terraço enquanto espero que me ajude nas dores de cabeça. Resulta.
Ao longe ouvem-se tambores, batuques e música oriental. Pela primeira vez desde que saí de Lisboa, relaxo... e alegro-me por estar aqui.

O L. foi arranjar dinheiro. Aqui, dado o baixo valor do Riel (1€ = 4000riel), usam USD para tudo excepto para comprar uma pepsi ou para 15min de internet.

Decidimos experimentar cozinha Khmer num dos muitos restaurantes da cidade.
E é fácil. Siem Reap, por ser a cidade que dá acesso aos templos de Angkor, é um oásis para turistas. Está cheia de sítios que servem comida típica, do barato ao caro, do banco de plástico à beira da estrada ao restaurante estiloso com decoração design gerido por ocidentais, como é o caso do Viroth.




Penso no porquê de estar aqui: “ver o Angkor Wat...”. E rapidamente se eriçam todos os pelinhos dos meus braços. Penso que isto é a concretização de um sonho.
Olho as pessoas à minha volta. Imagino “se já “o” terão visto?”... “se irão amanhã?”... “se terão gostado?”...
Preocupações como se estará bom para fotografar ou se estará a chover assaltam-me a mente… é uma oportunidade única e quero que seja perfeito.
... Mas na realidade mal posso esperar para estar lá, de uma maneira ou de outra.

2 comentários:

FM disse...

é quando vais e estás nesses sitios que sinto uma pontinha daquela coisa que é feio sentir...põe mas é rapidamente as fotos do Angkor...tou em pulgas

ana disse...

sim tb kero ver essas fotos do angkor :p momento esperado